Uma Mulher Sozinha (Homenagem a Pavese), Denise Levertov

Quando ela não pode ter certeza
de com qual dxs amantes ela sentiu
este ou aquele momento de prazer, de algo ardente
eletrizante da cabeça aos pés, como o vapor
da cachoeira que abre fendas na montanhadentro
visíveis de um carro do outro lado do vale, o carro
mudando de marcha, contornando o precipício,
subindo…
Quando ela pode se sentar ou caminhar por horas depois de um filme
falando sinceramente e com explosões de riso
com amigxs, sem se preocupar
se está tarde, jantar à meia-noite, o tempo dela
gasto sem contar o troco…
Quando metade da sua cama está coberta de livros
e ninguém deixa de dormir por causa da luz acesa
e ela desliga o telefone para dormir até tarde…
Então
a pena de si desaparece, uma alegria
livre de culpa a desperta.
Ela tem medos, mas não da solidão;
medos sobre como lidar com o envelhecimento
do seu corpo – como lidar
com as fotografias e o espelho. Ela se sente
tão mais jovem e mais bonita
do que parece. Mais feliz
—mesmo num momento
não tão agradável, suando
pacientemente devido a onda de calor na cidade
ou ouvindo os pássaros ao amanhecer, bem cinza,
monótono, o som da preguiça—
uma sóbria euforia a faz acreditar
no seu futuro como uma mulher mais velha, uma errante
cosida e curtida,
os pequenos luxos da vida madura se foram

observando cidades e rios, pessoas e montanhas,
sem ser observada; nem triste nem má,
uma velha mulher que bebe um vinho, que conhece
as antigas estradas, cobertas de grama, e ri sozinha…
Ela sabe que não pode ser:
aquela Sra. Façacomofariamcomvocê do livro The Water Babies,
ninguém mais pode andar pelo mundo,
um mundo de fumaças e decibéis.
Mas ela acha que de repente
ela pode ser corajosa e sábia, de alguma forma,
de qualquer forma. Agora ao menos
ela já passou pelo luto,
agora ela pode dizer sem vergonha ou desvio,
Ah, bendita Solidão!

Tradução Thais Medeiros
Ouça o poema na voz de Denise Levertov: Woman Alone

Márcia X de Carnaval , 2013 colagem sobre cartão-postal (Pankake, Márcia X, Performance 2001) Márcia X de Carnaval , 2013 colagem sobre cartão-postal (Pankake, Márcia X, Performance 2001) 

Márcia X de Carnaval, 2013
Colagem s/ cartão-postal (Pankake, performance 2001)

Advertisements

About rebuspress

@rebuspress https://vimeo.com/rebuspress
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

3 Responses to Uma Mulher Sozinha (Homenagem a Pavese), Denise Levertov

  1. Cara Thais, gostei muito da tradução de Uma Mulher Sozinha. Obrigado por me apresentar

  2. Thais, obrigado por me apresentar a Denise Levertov, saudações , marcos medeiros

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s